Gengibre 250 mg - 60 capsulas

R$32,90
Entregas para o CEP: Alterar CEP
Conheça nossas opções de frete

Descrição do produto

Várias propriedades do gengibre foram comprovadas em experimentos científicos, citando-se as atividades anti-inflamatórias, antiemética e antináusea, antimutagênica, antiúlcera, hipoglicêmica, antibacteriana entre outras.

O gengibre é uma erva rizomática originária do sudoeste da Ásia e do Arquipélago Malaio. É uma planta herbácea, perene, de rizoma articulado, septante, carnoso revestido de epiderme rugosa e de cor pardacenta. O rizoma do gengibre apresenta corpo alongado, um pouco achatado, com ramos fragmentados irregularmente. Externamente, sua coloração vai do amarelo couro à marrom brilhante, estriado na longitudinal, algumas vezes fibroso, com terminações conhecidas como “dedos” que surgem obliquamente dos rizomas; achatadas, obovatadas, curtas.

É popularmente conhecido como uma planta quente devido ao seu sabor acre e picante. Esta especiaria foi sempre muito apreciada desde os tempos mais antigos, sendo aproveitada para fabrica de xaropes e doces, bem como para a preparação de medicamentos.

Indicações e Ação Farmacológica
É indicado para dispepsia atônica; cólica; profilaxia de enjôo de viagem; rouquidão; inflamação da garganta; asma; bronquite; menorragia; anorexia; problemas reumáticos, dores de cabeça, analgésico, antipirético, anti-hepatotóxica, antinauseante.
Um estudo realizado com extrato dos rizomas de gengibre verificou a capacidade anti-inflamatória sobre o edema de pele de ratos e observou que o composto oleorresinoso, quando aplicado topicamente, provocava uma diminuição do edema. O extrato cetônico do gengibre possui atividade antiedematogênica e analgésica no modelo de analgesia e inflamação em ratos Wistar, concluindo ainda que o gengibre teria possivelmente capacidade para reduzir os produtos do metabolismo do ácido araquidônico.
Estudos mais recentes em laboratórios demonstraram que o rizoma de Zingiber officinalis foi capaz de reduzir lesões gástricas induzidas por HCL/etanol em ratos, assim como prevenir atividade ulcerogênica. Esta ação provavelmente se deve a um potente composto anti-ulcerogenico do zingiber o (+)- angelicoidenol-2-o-b-D-glicopiranoside.

O gengibre apresenta inúmeras propriedades farmacológicas, exercendo ação nos sistemas digestivos, nervoso central e cardiovascular. Age como estimulante para o trato gastrintestinal, aumentando o peristaltismo e o tônus do músculo intestinal.
Tem-se demonstrado considerável interesse no seu uso como antiemético, em razão de não demonstrar efeitos colaterais em comparação a outras drogas antieméticas.

Toxicidade/Contraindicações
Se tomada nas doses terapêuticas não apresenta efeitos colaterais.
No caso de cálculos biliares, a droga só deve ser empregada com orientação médica.

Dosagem e Modo de Usar: 250 a 1000mg ao dia, divididos em 2 doses.

Referências Bibliográficas
TESKE M., TRENTINI A.M , Herbarium compêndio de fitoterapia, 3°ed, 1995.
COIMBRA R., Notas de fitoterapia, 2°ed, 1958.
LORENZI H. MATOS F.J, Plantas medicinais no Brasil- nativas e exóticas. 2002.
DEBIASI, C.; FELTRIN, F.; MICHELUZZI, F.; Micropropagação de gengibre (Zingiber officinalle). Current Agricultural Science and Technology, v. 10, n. 1, 2004.
GRÉGIO, A. M. T. et al. Ação antimicrobiana do Zingiber officinalle frente à microbiota bucal. Estud. biol, v. 28, n. 62, p. 61-66, 2006.
DE SOUZA PINHEIRO, C. C; DOS SANTOS, D. R. S. Caracterização Farmacológica Da Zingiber Sp., Cultivada No Estado Do Amazonas. 2009.